• Centro Nacional de Educação

Nativos Digitais e Metodologias Ativas


Você já viu uma criança com um celular na mão? Já observou como ela tem habilidade para lidar com ele, quase sempre bem mais que um adulto? Os jovens também são "fera" com o computador, além do celular. Enquanto isso, nós mais velhos, temos dificuldades em lidar com todas essas tecnologias. Já pensou porque isso acontece? Um pesquisador americano chamado Marc Prensky, em 2001 (sim, há 19 anos atrás) escreveu um artigo explicando isso. De acordo com ele, jovens e crianças de hoje nasceram na sociedade tecnológica, quando essas tecnologias já existiam. Isso faz deles "nativos digitais" enquanto nós somos "imigrantes digitais", isto é, as tecnologias são naturais para eles, e, para nós, é como se vivêssemos em um país diferente e tivéssemos que aprender uma nova língua. Então, temos um "sotaque" e é mais difícil a adaptação a essas ferramentas.

Mas, por que já nascer com essa tecnologia os torna diferentes? Porque o cérebro deles se tornou diferente do nosso quando eles passaram várias horas jogando videogame, ou utilizando ferramentas tecnológicas. Assim, se eles são fisicamente diferentes de nós pelas mudanças no cérebro, não podemos exigir que eles se comportem como nós. É por isso que, para eles, "distante" é um lugar que não existe, pois a tecnologia os une. Eles não sentem as mesmas necessidades de estar presente, pois estão em contato pelo celular, computador, jogam juntos mesmo cada um em sua casa. O que foi bom para nós não é necessariamente para eles. Precisamos entender e aceitar isso.

A tecnologia os transformou também no que se refere à quantidade de informação que eles conseguem lidar e como eles a buscam. Com a internet à mão (e na mão deles!!), eles obtêm informação sozinhos. Isso muda completamente o papel do professor. Antes, ele era o detentor do saber, e o "entregava" ao aluno. Hoje o aluno já tem as informações. Precisa saber o que fazer com elas. Por isso, a metodologia tradicional de o professor expor e o aluno escutar não funciona mais. Causa um descompasso entre o que o aluno quer e o que o professor ensina. O professor precisa ter outra postura e outro papel. Ele deve ensinar ao aluno o que ele pode fazer com a informação, sendo, assim, o mediador entre o aluno e o conhecimento. Por isso a BNCC tira o foco do aprendizado do conteúdo e passa-o para o desenvolvimento de habilidades e competências, que é o que os alunos de hoje necessitam. É também por isso que hoje só se fala em uso de metodologias ativas no ensino.

As metodologias ativas permitem que o aluno se alimente de informações antes da aula e depois discuta com o professor e com os próprios alunos sobre o que entendeu. Juntos, eles analisam, discutem, refletem e compreendem melhor conceitos e ideias. Aprendem juntos a utilidade dos conceitos para a vida e o trabalho. Deixam de lado os famosos "para que isso serve" e "onde eu vou usar isso", porque aprendem enquanto utilizam. Com isso, desenvolvem-se competências de resolução de problemas e de conflitos, de investigação e teste de hipóteses, de análise crítica e criatividade, de empatia, responsabilidade social e respeito às diferenças e exercício de cidadania.


Nessa época em que estamos vivendo, essas metodologias ativas são essenciais. Se presencialmente já não adiantava o "falar e escutar", imagine agora, à distância! Além disso, o modo de apresentar atividades também precisa ser diferente. Ao disponibilizar conteúdos para seus alunos, busque vídeos interessantes, aplicativos instigantes e motivadores. Proponha que eles criem grupos no WhatsApp para discutirem ideias que serão trabalhadas na Live e nos vídeos e aplicativos. Procure textos também, é claro! Mas não utilize somente um tipo de mídia. Não será produtivo para eles.

Espere que seu aluno busque mais do que você enviou. Incentive-o a fazer isso. Ele já o faz para outros conteúdos, por que não o escolar? Esteja preparado para isso. Ao escolher o material a ser enviado, você se deparará com muitos. Analise-os todos, pois seu aluno certamente o fará. É mais trabalhoso do que o fazer diário da metodologia tradicional? Claro que sim, pois criar mentes pensantes não é fácil, mas é trabalho para o professor. E somente mentes pensantes, críticas e reflexivas poderão mudar o rumo do nosso país.

Estude, explore, seja criativo! Use as tecnologias a seu favor. Use o que o aluno gosta a seu favor. Se você apresentar a ele um aplicativo que ele gostar, sua aula não acabará quando ele sair da escola ou desligar o computador. Ela permanecerá viva enquanto ele estiver "brincando" com aquele aplicativo, jogo, lendo novos textos ou assistindo a vídeos similares aos que você indicou.

Procure, estude, aprenda mais a cada dia. Isso só o ajudará a entender seu aluno e a dar a ele condições de ser um cidadão capaz.

Deixe seus comentários sobre suas aulas com metodologias ativas em nossos comentários.

91 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

 (11) 3642 1060             (11) 9 7658 3939              cenaed.sp@gmail.com

© 2017 por Centro Nacional de Educação, CNPJ: 25.006.762/0001-26 . Logotipo criado e desenvolvido por Mateus Freire. Todos os direitos reservados.