• Centro Nacional de Educação

Dicas para a nova realidade do Professor

Desde o início da quarentena, enviamos sugestões de atividades e recursos digitais para o professor trabalhar com os próprios alunos, buscando ajudá-lo na difícil tarefa de incluir a tecnologia em nossas aulas. Hoje, nosso foco é o próprio professor. É importante que ele cuide de sua saúde física e mental para poder continuar fazendo um bom trabalho.

Comece organizando seu trabalho. A organização e a rotina, que tanto queremos cultivar em nossos alunos, são peças chave para ter mais rapidez e eficiência no fazer diário. Ao ficar em casa, o professor precisa de um local para trabalhar. Arrume um cantinho para você, com seu computador, celular, fones de ouvido, e outras ferramentas que utiliza o tempo todo.

Depois, faça uma lista de coisas que você precisará finalizar no dia. Deixe-as à vista, em um quadro para anotações, que pode ser improvisado com papel contact, ou post its. Se preferir, a tecnologia pode ajudar também. Coloque lembretes na agenda do Google, procure aplicativos de tarefas. São interessantes e ainda tocam um alarme para lembrá-lo que é hora daquele afazer. O importante é deixar suas tarefas anotadas e à vista, para não serem esquecidas.

Organize a sequência em que elas serão realizadas. Determine o tempo que passará em cada uma delas. Lembre-se de colocar pequenos intervalos para você levantar, descansar da tela do computador, tomar um café, esticar as pernas e braços... Tente cumprir a risca esses horários. Isso aumenta a produtividade, sem contar que faz bem para a vista, para o corpo e para a mente! Nesse momento, parece que fazemos tanto e não produzimos nada. Não é verdade. Fazemos muito e não observamos isso. Se você organiza suas tarefas e, ao final do dia, vê a lista realizada, o sentimento de missão cumprida dá muita satisfação, o que nos deixa mais relaxados e felizes.


Não perca as oportunidades. Está a busca de um aplicativo para uma aula de adição e encontra vários para subtração e multiplicação? Guarde! Baixe no seu celular ou tablet, pois em outro momento eles lhe serão úteis. O mesmo pode ser feito para vídeos, textos, brincadeiras, jogos, etc. Guarde-os de maneira organizada. Coloque os aplicativos separados por página em seu tablet, links de vídeos ou materiais em um arquivo para cada assunto, de forma que você possa encontrar o que quer com facilidade.

Avalie o recurso digital que você selecionou assim que o encontrar. Observe se ele é adequado para o ano escolar em que você trabalha, para o conteúdo que você pretende abordar, se é adequado para a sua turma, e o mais importante de tudo, se não há erros conceituais ou indução a erro no recurso digital escolhido. Se há um único erro nele, descarte! Não corra o risco de seu aluno encontrá-lo. Faça essa avaliação assim que se deparar com o recurso. Se você guardar sem avaliar, vai gastar espaço, e pode se perder num emaranhado de informações. Assim, só guarde se você perceber que será útil em algum momento.


diversos tipos de recursos digitais. Procure conhecê-los para diversificar a sua aula. Vídeos, aplicativos, podcasts, jogos, música, textos, reportagens, etc. Observe seu planejamento e verifique se não utilizou somente um tipo de recurso. Cada aluno aprende de um jeito, e precisamos contemplar a todos. Reveze também entre vídeo-aulas e Lives, pois é preciso manter o vínculo com o aluno formado lá no início do ano, e ele só se sustenta com a comunicação entre vocês.

Falando em planejamento, pense em sua semana de trabalho, organize o tipo de atividade que fará com seus alunos, e retome-o todos os dias, para verificar se ele ainda está adequado ou se precisa de mudanças. As aulas à distância também precisam de mais organização do que as presenciais. Muitos professores afirmam que algumas anotações são suficientes para o plano de aula. À distância, o plano precisa ser bem detalhado e organizado para que você não se esqueça de cada detalhe que fará para o bom andamento da Live. Por exemplo, ao separar os alunos em grupos, você precisará de uma lista com os nomes dos participantes de cada grupo, pois eles terão que se comunicar via WhatsApp ou outro aplicativo e precisam saber para quem ligar. Você observará que esse detalhamento do plano de aula é bem mais eficiente que poucas anotações, e fará dele o seu aliado também nas aulas presenciais.

Uma última sugestão que fazemos a você, professor, é que busque por conhecimento! Quanto mais aprendemos, menos somos surpreendidos por situações adversas como a que se fez presente agora. Nesse momento, vemos que as tecnologias digitais foram as nossas maiores aliadas. Busque conhecê-las mais, para que você tenha novas habilidades para o futuro próximo que avistamos: a volta às aulas presenciais. Fique, também, atento a novas ferramentas que surgirão. Assim, passará pela transformação antes que ela seja necessária, e terá menor dificuldade no dia a dia.


Há algum tempo atrás lemos um livro que questionava o leitor se o professor seria substituído pela tecnologia. Ao final do livro, a resposta era a de que a tecnologia não substituiria o professor, mas que ele seria substituído por um professor que soubesse usar a tecnologia. A leitura desse livro foi há mais ou menos uns 15 anos. Será que a pergunta ainda é atual? E a resposta?

Deixe seu recado sobre como você se organiza para trabalhar em casa, seus sucessos e suas preocupações.

108 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

 (11) 3642 1060             (11) 9 7658 3939              cenaed.sp@gmail.com

© 2017 por Centro Nacional de Educação, CNPJ: 25.006.762/0001-26 . Logotipo criado e desenvolvido por Mateus Freire. Todos os direitos reservados.