• Centro Nacional de Educação

A Alfabetização e o papel do Professor

Na última postagem de nosso Blog, lembramos que o professor precisa ser "mutante" para poder seguir as novas tendências, aprender todos os dias um novo meio de colaborar com a aprendizagem dos alunos, como no desenvolvimento da alfabetização. Nesse momento, vemos a importância de se desenvolver habilidades para que o aluno possa usar a tecnologia de maneira produtiva e responsável. Isso também muda o papel do professor nesse processo.

É o professor quem faz a ponte entre o conhecimento e o aluno. É ele quem gerencia a relação do aluno com o saber, propondo atividades, leituras, questionamentos. Hoje, observa-se que os alunos estão inseridos em um mundo globalizado, no qual a tecnologia é uma porta para a informação, e a leitura ocorre e ainda ocorrerá na vida deles, em grande medida, com uso de tecnologias. Além disso, essa é uma porta para trocas de informações com pessoas que estão distantes, possibilitando que sejam desenvolvidos e descobertos outros potenciais desses alunos. Se o professor desconsiderar essa ferramenta, ele privará seu aluno de conhecimento e de desenvolvimento.

Então, o papel do professor deixa de ser o de "detentor de conhecimento", para ser o de mediador, orientador, pesquisador, instigador. Sim, um papel muito mais abrangente e mais difícil, mas essencial para nossos alunos. Para cumprirmos esse papel, precisamos ter a tecnologia como nossa aliada.

Mas, como fazê-lo? A primeira coisa a fazer, é experimentar o que nosso aluno faz! Faça buscas na internet, vivencie essa busca como uma criança a procura de informações, e leia na tela. Eles não imprimem. Nós fazemos isso! Incentive-os a buscar informações para a aula. Cada aluno fará a busca de uma maneira diferente e isso trará riqueza e abrangência para a discussão com os colegas, e ainda ajudará você a observar como eles fazem essa busca e ensiná-los a obter melhores resultados.

Descubra o que o Facebook, Instagram e WhatsApp pode fazer por suas aulas. Eles usam com frequência essas ferramentas, e esse interesse pode ser um aliado. Grupos de Facebook podem ajudar para que suas aulas continuem depois do horário, já que eles entrarão para discutir e questionar. Imagens da aula no Instagram ou até mesmo de curiosidades sobre o assunto da aula podem colaborar com o comprometimento deles. Além disso, os grupos de WhatsApp podem servir para debater sobre a resolução de desafios ou questionamentos da aula.


Muitos são os aplicativos de leitura. Pode-se comprar livros no Amazon, Saraiva, Livraria Cultura, e cada uma dessas lojas têm um aplicativo. Descubra como eles são para entender como será a leitura dos alunos nesses aplicativos. Muitos têm possibilidades de marcação, anotações, de ver miniaturas das páginas, e até mesmo dicionários. Ao usá-las, você descobrirá meios de incluir essas ferramentas no seu planejamento, para tê-las como aliadas.

Novamente, lembramos que não se trata de deixar para trás práticas usuais com papel e lápis, mas de incluir novas práticas para colaborar com o desenvolvimento dos alunos. Não é porque eles têm familiaridade com a tecnologia que sabem como usá-la sem precisar de auxílio.

Nós professores nos tornamos pesquisadores, ao procurar mais informações e estudos para melhorar nossas aulas, orientadores e instigadores, ao usar metodologias ativas e deixar nossos alunos guiarem sua própria aprendizagem, e certamente isso nos fará crescer cada vez mais!

Aproveite as mutações pelas quais você precisa passar com reflexão e alegria pelo aprendizado e pelo trabalho realizado!

Deixe seus comentários sobre todas as vezes que você precisou mudar para atender as exigências que novas ferramentas trazem para nossa profissão.

Posts recentes

Ver tudo

 (11) 3642 1060             (11) 9 7658 3939              cenaed.sp@gmail.com

© 2017 por Centro Nacional de Educação, CNPJ: 25.006.762/0001-26 . Logotipo criado e desenvolvido por Mateus Freire. Todos os direitos reservados.