• Centro Nacional de Educação

A Educação e o Brincar

O professor é um profissional que tem novos desafios constantemente, principalmente por causa das mudanças de uma geração para outra. Nos dias de hoje, os avanços tecnológicos transformaram a forma de comunicação e o acesso às informações. Ambos são rápidos e volumosos, nem sempre com a qualidade necessária. Assim, é fácil para a criança, o adolescente e o jovem da geração atual descartarem o que não lhes interessa. Se o professor não levar em conta o perfil e as necessidades do aluno, pode correr o risco de ter suas aulas descartadas também...


Então, como envolver os alunos de hoje? O primeiro passo para isso é que as aulas foquem o interesse do aluno, como enfatizado pela BNCC. Se o elemento central da atividade for do interesse dele, ele se engajará na construção do conhecimento e no desenvolvimento da habilidade ou competência almejada pelo professor. Atualmente, um dos interesses dos alunos está voltado para jogos, brincadeiras e desafios.


O campo que estuda a abordagem em sala de aula por meio de aplicação de jogos, brincadeiras e outras formas lúdicas de se trabalhar é a Ludopedagogia.


As atividades ludopedagógicas são cada vez mais utilizadas nas escolas e clínicas psicopedagógicas para que crianças, adolescentes e jovens consigam desenvolver habilidades cognitivas. Tais atividades, quando bem planejadas, aceleram o aprendizado por pelo menos dois motivos. O primeiro deles é que esse tipo de atividade desperta o interesse do aluno justamente pelo fato de ser envolta em um jogo, uma brincadeira, elementos estes quase sempre ausentes em sala de aula, especialmente para alunos de anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. O segundo motivo é que, durante a atividade ludopedagógica além do conteúdo em foco, aparecem outros conteúdos que vêm de “carona”. Isso quer dizer que se trabalham vários conteúdos nesse tipo de atividade, o que permite que os “caronas” sejam retomados a partir de um jogo já conhecido pelo aluno, com outro foco. Assim, a atividade ludopedagógica permite que o aprendizado seja acelerado, ao contrário do que alguns profissionais afirmam quando justificam o não uso dessa abordagem.

Vale enfatizar também que a Ludopedagogia é tão importante para o aluno quanto para o professor, que também precisa que seu trabalho diário seja mais agradável e menos cansativo. Com essa abordagem, até mesmo o professor acaba se divertindo com a atividade e tendo momentos mais leves e agradáveis em sala de aula.


Finalmente, a Ludopedagogia é indispensável para alunos da educação especial e inclusão, que necessitam de meios alternativos para aprender.


E você? Já teve alguma experiência Ludopedagógica em sala de aula? Conte-a em nossos comentários.

44 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo